Notícias

Como trabalhar a saúde mental na escola?

Ajudar os estudantes a cuidarem do bem-estar emocional e psicológico também é um dos papéis das instituições de ensino


Ajudar os estudantes a cuidarem do bem-estar emocional e psicológico também é um dos papéis das instituições de ensino. Para alcançar esses resultados, nada melhor do que falar sobre saúde mental na escola. Em períodos de crise, como o da pandemia do novo coronavírus, isso se mostra ainda mais importante e faz a diferença no desenvolvimento dos estudantes.


Com a devida atenção a esse aspecto do bem-estar, é possível consolidar um cenário positivo e, principalmente, de suporte para que todos os estudantes se sintam apoiados em diferentes situações. Como resultado, há como exercer o papel da instituição de ensino de forma intensa e contextualizada.


Mas, afinal, como trabalhar esse tema na escola? A seguir, veja algumas informações essenciais para que saúde mental e escola andem juntas!


Monte uma roda de conversa


Criar um ambiente acolhedor e informativo é um dos pontos mais importantes para consolidar as bases quanto a esse tema. Então, vale a pena pensar em elaborar uma roda de conversa que envolva o assunto e questões relevantes para o bem-estar mental.


Em tempos de pandemia, o ideal é fazer esse tipo de reunião de forma virtual. Inclusive, a família pode se envolver com os estudantes, o que pode trazer resultados ainda melhores.


A roda de conversa pode abordar os temas do cotidiano e que apresentam potencial para afetar a saúde mental. Nos tempos atuais, isso pode significar falar sobre a pandemia e seus impactos e como os estudantes podem cuidar mais da saúde.


O bullying é outra situação que pode ser abordada nessa atividade. A ideia é demonstrar a importância de procurar ajuda e apresentar como isso impacta quem sofre com o problema.


Cada comunidade escolar tem suas necessidades quanto ao tema e, por isso, vale a pena conhecê-las para abordar o que for pertinente. Como consequência, o cuidado com a saúde mental na escola se torna maior.


Fortaleça o senso de comunidade e pertencimento


Um dos fatores que podem desencadear problemas psicológicos é a sensação de isolamento ou solidão. Quando um estudante sente que não tem ninguém com quem pode contar é quando ele se torna mais vulnerável a problemas de saúde mental.


A escola pode reverter essa situação por meio de atitudes que criem e fortaleçam o chamado senso de comunidade. A intenção é garantir que todos sintam que pertencem a um ambiente em que há pessoas como ele e com as quais é possível contar.


Uma maneira de fazer isso é criar um cenário empático e realmente acolhedor. O ideal é que o estudante veja os professores e outros profissionais da instituição como pessoas que podem apoiá-lo quando ele precisar.


Acima de tudo, vale a pena construir a confiança para que os estudantes se sintam mais à vontade para dividir medos, dificuldades e problemas.


Além disso, é interessante gerar algum senso de identificação. Uma forma de fazer isso é estimular conversas e trocas entre os pares. Em uma atividade com crianças ou adolescentes, por exemplo, é possível estimular que cada um se abra sobre seus medos ou dificuldades sobre o tema. Isso fará com que todos se reconheçam no outro, o que poderá gerar efeitos positivos.


Atue para desfazer estigmas


A saúde mental ainda é fonte de questões estigmatizadas e mesmo de preconceito. Não é incomum se deparar com núcleos familiares em que o tema é um tabu ou até evitado. Isso adiciona uma carga que não é necessária, o que pode complicar questões psicológicas.


A escola pode atuar nesse sentido para desmistificar ou acabar com certos estigmas. Mostrar que cuidar da saúde mental é tão importante quanto dar atenção à parte física, por exemplo, pode estimular os cuidados.


Também é interessante demonstrar que esses não são sinais de fraqueza ou de falta de força de vontade e que os problemas são reais. Com um debate mais honesto e longe de juízos de valor, os estudantes e as famílias perceberão a importância de tratar do tema.


É ainda um jeito de evitar que crianças ou adolescentes que se abrem sobre o assunto recebam um tratamento hostil. Sem o peso dos estigmas sociais, há um acolhimento verdadeiro e necessário.


Favoreça o desenvolvimento socioemocional


Quando falamos em saúde mental na escola, um dos papéis da instituição está relacionado ao desenvolvimento socioemocional dos estudantes. Afinal, trabalhar essas questões permite que toda a comunidade escolar se fortaleça, a partir de técnicas e conhecimentos relevantes sobre o assunto.


Por meio desse desenvolvimento, é possível ajudar os estudantes a lidarem com o estresse ou com a ansiedade, por exemplo. Também há como trabalhar questões de autoestima, comunicação e empatia, inclusive de maneira coletiva.


Portanto, esse desenvolvimento pode atuar tanto sobre questões de saúde mental quanto sobre as suas consequências.


Ademais, pode ser uma forma de contextualizar o cuidado com a saúde psicológica no dia a dia da comunidade. Como consequência, os resultados podem se mostrar positivos e, principalmente, duradouros.


Busque o apoio de profissionais especializados


Por mais importante que seja, abordar a saúde mental na escola não tem que significar tratar das questões apenas no ambiente educacional. Afinal, essa é uma tarefa que precisa ser destinada a especialistas da área, para que seja possível consolidar os efeitos desejados.


Além disso, a busca por apoio profissional sobre questões psicológicas evita a sobrecarga de professores. Sendo assim, a escola pode buscar uma atuação integrada.


O objetivo é garantir que, a partir da identificação de um problema, o estudante receba o acompanhamento e o apoio que são necessários. Com essa atuação multidisciplinar, a escola passa a ser essencial para o correto encaminhamento.


Igualmente, o apoio dos profissionais para desenvolver atividades específicas é crucial. Com as orientações de quem trabalha com saúde mental e suas questões, é possível criar uma abordagem especialmente efetiva.


Trabalhar a saúde mental na escola pode ser de grande auxílio tanto para os estudantes quanto para suas famílias. Principalmente, é algo que fortalece o senso de comunidade e ainda ajuda a criar uma rede de apoio para estudantes em diferentes situações. Assim, todos podem se beneficiar com uma iniciativa do tipo.



Fonte: https://escoladainteligencia.com.br/saude-mental-na-escola/